• -10%
  • -10%
PROPALGINA PLUS 10 SACHÊS PÓ PARA SOLUÇÃO ORAL...

PROPALGINA PLUS 10 SACHÊS PÓ PARA SOLUÇÃO ORAL Alivia os sintomas de resfriado e gripe

969501
10,32 € 11,47 € -10%
Com IVA

Com sachês Propalgin Plus sabor cola , alivia os sintomas associados a gripes e resfriados

AÇÃO E MECANISMO

- Combinação de um [ANALGÉSICO] [ANTIPIRÉTICO], um [ANTAGONISTA HISTAMINÉRGICO (H-1)], um [ANTITUSIVO] e um [NASO/FARINGEO DESCONGEESTANTE]. O acetaminofeno exerce efeitos analgésicos e antipiréticos provavelmente devido à inibição da síntese de prostaglandina no nível central. A clorofenamina, por outro lado, age como um antagonista histaminérgico e muscarínico, eliminando sintomas frios como espirro, choro ou rinorreia. Dextrometorphane causa depressão no centro da tosse. Finalmente, fenilefrina é um agonista adrenérgico alfa-1, que resulta em vasoconstrição, reduzindo o congestão nasal.

AVISOS ESPECIAIS

- Recomenda-se monitorar o paciente em busca de sinais de abuso.- Em pacientes tratados com anticoagulantes, recomenda-se seguir tratamentos curtos com baixas doses, monitorando os parâmetros de coagulação.- Recomenda-se evitar a associação entre produtos com dextrometorphane e antidepressivos, deixando pelo menos 14 dias de descanso entre a administração de ambos os medicamentos.- Recomenda-se realizar contagens hematológicas em pacientes tratados com altas doses ou por longos períodos de tempo.- É aconselhável monitorar os níveis de transaminas em pacientes. com risco prolongado ou de hepatotoxicidade.- Em caso de overdose, o antídoto específico para acetaminofeno é n-acetilcisteína.

IDOSO

Pacientes idosos podem ser mais suscetíveis aos efeitos colaterais deste medicamento, por isso é recomendável usá-lo com cautela, e interromper a administração se as reações adversas não forem toleráveis.

CONSELHO PARA O PACIENTE

- Recomenda-se beber muita água durante o tratamento, evitando o máximo possível a ingestão de bebidas alcoólicas.- O médico deve ser notificado de qualquer alteração no comportamento ou humor do paciente.- Recomenda-se não exceder as doses diárias recomendadas e evitar tratamentos por mais de cinco dias sem prescrição opcional.- Se os sintomas continuarem ou piorarem após cinco dias. , recomenda-se consultar o médico.- O médico ou farmacêutico deve ser notificado de qualquer doença sofrida pelo paciente ou qualquer medicamento que esteja tomando, especialmente no caso de antidepressivos.- Pode causar sonolência, por isso recomenda-se ter cuidado ao dirigir, e não combiná-lo com drogas ou outras substâncias sedativas, como o álcool.

CONTRA-INDICAÇÕES

- Hipersensibilidade a qualquer componente do medicamento, incluindo casos de [ALERGIA A PARACETAMOL] ou [ALERGIA OPIOIDE].

- [HEPATOPATIA], como [INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA] OU [HEPATITE]. Acetaminofeno pode levar à hepatotoxicidade.

- [PORFIRIA]. Os anti-histamínicos H1 não consideram seguros em pacientes porfiria.

- Doença cardíaca grave ou diabetes mellitus descontrolada. Há risco de descompensação grave.

- Pacientes em tratamentos com antidepressivos IMAO ou SSRS dentro de 14 dias antes de iniciar a terapia de fenilefrina (ver Interações).

- [DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA], [ASMA], [INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA], [DEPRESSÃO RESPIRATÓRIA], [PNEUMONIA].

- [TOSSE PRODUTIVA].

- [HIPERTENSÃO ARTERIAL].

- [HIPERTIREOIDISMO].

- [GLAUCOMA].

- Obstrução do pescoço da bexiga ou retenção urinária.

- Terapia conjunta com anticoagulantes orais.

- Em pacientes com urolithiase oxálica ou oxaúria.

- Crianças menores de 12 anos.

EFEITOS NA CONDUÇÃO

Este medicamento pode afetar substancialmente a capacidade de dirigir e/ou operar máquinas. Os pacientes devem evitar o manuseio de máquinas perigosas, incluindo automóveis, até que estejam razoavelmente certos de que o tratamento medicamentoso não os afeta negativamente.

GRAVIDEZ

Algumas substâncias ativas nesta especialidade são capazes de atravessar a barreira placentária. A segurança e a eficácia deste medicamento em gestantes não foram avaliadas, por isso recomenda-se evitar a administração, a menos que não haja alternativas terapêuticas mais seguras, e desde que os benefícios superem os riscos potenciais.

TRAJETO

- [RESFRIADO COMUM]. Tratamento sintomático de processos catarral e [GRIPE] que realizam febre, dor moderada, dor de cabeça, congestão nasal, tosse improdutiva e rinorreia.

INTERAÇÕES

- Álcool etílico. A ingestão de bebidas alcoólicas juntamente com acetaminofeno pode causar danos ao fígado. Além disso, os efeitos sedativos da clorofenamina poderiam ser aprimorados. Recomenda-se evitar a ingestão de álcool durante o tratamento. Em alcoólatras crônicos, não mais do que 2 g/24 horas de acetaminofeno devem ser administrados.- Algeldrate. O ácido ascórbico pode aumentar a absorção do alumínio. Sugere-se que a distância da administração de ambos os medicamentos.- Antiarthythmics (amiodarona, quinidina). Casos han de toxicidade dextrometorphane foram relatados quando combinados com certos antiarthítmicos.- Anticoagulantes orais. Em casos muito raros, geralmente em altas doses, os efeitos anticoagulantes podem ser potencializados inibindo a síntese hepática de fatores de coagulação por acetaminofeno. O ácido ascórbico, por outro lado, pode reduzir os efeitos da varfarina quando administrado em altas doses. Recomenda-se administrar a dose mínima, com o menor tempo possível de tratamento, e controlar inr.- Anticholinergics (antiparkinsonianos, antidepressivos tricíclicos, IMAO, neurolépticos). A clorofenamina poderia potencializar efeitos anticolinergic, por isso é recomendado evitar a associação.- Contraceptivos orais. Eles poderiam aumentar o despejo plasmánico de acetaminofeno, diminuindo seus efeitos. O ácido ascórbico, por outro lado, poderia promover o acúmulo de medicamentos como estradiol etínimo.- Antidepressivos (IMAO, SSRIs). A administração conjunta de produtos fenilefrina ou dextrometorphane em conjunto com iMAO ou SSRS pode resultar em reações graves, mesmo fatais, adversas. Recomenda-se evitar associação e não administrar produtos com dextrometorphane ou fenilefrina até pelo menos 14 dias após o tratamento com o antidepressivo.- Antihipertensivos (beta-bloqueadores, diuréticos, guanetidina, metil-dopa). A fenilefrina pode antagonizar efeitos antihipertensivos, e até mesmo levar a convulsões hipertensivas, por isso é recomendado monitorar a pressão arterial. Propranolol poderia inibir o metabolismo do acetaminofeno, levando a efeitos tóxicos. O ácido ascórbico, por outro lado, poderia reduzir os níveis de plasma de propranolol.- Carbono ativo. Pode produzir uma adsorção de acetaminofeno, diminuindo sua absorção e efeitos farmacológicos.- Cloroanfenicol. A toxicidade do acetaminofeno poderia ser aumentada, provavelmente inibindo seu metabolismo. Coxibes pode aumentar as concentrações plasmáticas de dextrometorphane.- Deferoxamina. O ferro pode se acumular em tecidos, por isso doses de vitamina C podem precisar ser reduzidas.- Digoxina. O risco de arritmias cardíacas associadas à fenilefrina pode ser aumentado.- Estimulantes nervosos (anfetaminas, cocaína, xanthines). A estimulação nervosa pode ser melhorada, resultando em intensa excitabilidade. A inibição da tosse por dextrometorphane pode resultar em obstrução pulmonar em caso de aumento do volume ou fluidez de secreções brônquicais.- Hormônios da tireoide. Um potencial dos efeitos de ambas as drogas, com o risco de pressão alta e insuficiência coronária, pode ocorrer. Medicamentos como barbitúricos, carbamazepine, hydantoin, isoniazida, rifampicina ou sulfinpirazona, poderiam induzir o metabolismo de acetaminofeno, diminuindo seus efeitos e aumentando o risco de hepatotoxicidade.- Lamotrigin. O acetaminofeno poderia reduzir as concentrações de soro de lamotrigin, resultando em uma diminuição do efeito terapêutico.- Levodopa. A administração de levodopa juntamente com a simpatia aumenta o risco de arritmias cardíacas, de modo que uma diminuição na dose do agonista adrenérgico pode ser necessária. A fenilefrina poderia antagonizar os efeitos antiangínuos dos nitratos, por isso é recomendado evitar a associação.- Sedativos (analgésicos opioides, barbitúricos, benzodiazepínicos, antipsicóticos). A administração conjunta de clorofenamina juntamente com uma droga sedativa poderia aumentar a ação hipnótica.- Simmióticos. Um aprimoramento dos efeitos colaterais, tanto nervosos quanto cardiovasculares, pode ocorrer.- Zidovudine. O acetaminofeno pode aumentar a eliminação da zidovudina, diminuindo seus efeitos.

ENFERMAGEM

Algumas das substâncias ativas neste medicamento são excretadas com leite, por isso recomenda-se interromper o aleitamento materno ou evitar o uso desse medicamento em gestantes.

CRIANÇAS

A segurança e eficácia deste medicamento em crianças menores de 12 anos não foram avaliadas e, portanto, não é recomendada para uso.

REGRAS PARA A ADMINISTRAÇÃO ADEQUADA

Os envelopes se dissolverão em meio copo de água e ingeridos. A administração deste medicamento deve ser iniciada quando os primeiros sintomas aparecerem. À medida que estes desaparecem, esta medicação deve ser descontinuada.

PRECAUÇÕES

- [INSUFICIÊNCIA RENAL]. Pode ocorrer acúmulo das substâncias ativas. Reações adversas renais ao acetaminofeno são mais comuns nesses pacientes.

- Pacientes com [DIABETES], [INSUFICIÊNCIA CORONARIANA], [CARDIOPATIA ISQUEMICA], [ARRITMIA CARDÍACA], [FEOCROMOCITOMA], [HIPERPLASIA PROSTÁTICA] OU [OBSTRUÇÃO VEJIGA URINÁRIA], [MYASTHENIA GRAVE], [PEPTICA ULCERA] snoozeant ou [OBSTRUÇÃO INTESTINAL]. Tanto fenilefrina quanto clorofenamina podem agravar os sintomas. Em casos graves, pode ser aconselhável evitar a administração.

- Tosse persistente ou crônica, como na associada à [ASMA], [ENFISEMA PULMONAR]. Cloramina e dextrometorphane podem piorar esses processos devido ao aumento da viscosidade das secreções e à inibição da tosse. As reações han chospastic bron foram relatadas ao administrar acetaminofeno a pacientes asmáticos com [ALERGIA SALICILATOS], por isso é recomendado um cuidado especial nesses pacientes.

- [EPILEPSIA]. Alguns anti-histamínicos H1 han associados a convulsões.

- [SANGUINEAS DISCRASIAS]. O acetaminofeno pode às vezes resultar em [ANEMIA], [LEUCOPENIA] ou [TROMBOCITOPENIA]. Recomenda-se precauções extremas, evitando tratamentos prolongados e contagens hematológicas periódicas nesses casos.

- Hepatotoxicidade. Metabolismo de acetaminofeno pode levar a substâncias hepatotóxias. Recomenda-se evitar o uso em pacientes com danos hepáticos anteriores (ver Contraindicações), bem como precauções extremas naqueles com [CRONICO ALCOOLISMO] ou outros fatores que poderiam desencadear fenômenos hepatotoxicidade. É aconselhável evitar tratamentos prolongados e não exceder doses de 2 g/24 horas nesses pacientes. Da mesma forma, recomenda-se monitorar os níveis de transaminase, interrompendo o tratamento em caso de aumento significativo dos níveis transaminase.

- Histórico de [CÁLCULOS RENAIS]. O ácido ascórbico pode promover a formação de pedras nos rins.

- [HEMOCROMATOSE]. Vitamina C pode levar a envenenamento por ferro. Evite tratamentos prolongados.

- Dependência. Embora sejam muito raros, han dado casos de dependência de produtos com dextrometorphane. Precauções extremas são recomendadas e o paciente, especialmente crianças, é monitorado caso ocorram sintomas de abuso.

PRECAUÇÕES RELACIONADAS COM EXCIPIENTES

Este medicamento contém sacarose. Pacientes com intolerância hereditária [FRUCTOSA], glicose ou malabsorção de galctose, ou insuficiência de sucrose-isomaltase não devem tomar este medicamento.

REAÇÕES ADVERSAS

As reações adversas descritas são: - Digestivo. Fenômenos anticolinergic como [NÁUSEAS], [VOMITOS], [SECURA BUCAL], [DIARREA] e [ESTRESSE] podem ocorrer. O mais raro é o aparecimento de [ANOREXIA].- Hepática. Ocasionalmente [HEPATOPATIA] pode ocorrer com ou sem [ICTERICIA].- Cardiovascular. [HIPERTENSÃO ARTERIAL], [HIPOTENSION] em idosos e [TAQUICARDIA].- Neurológica/psicológica. A reação adversa mais comum é o aparecimento de [SOMNOLENCIA]. Reações paradoxais de [EXCITABILIDADE] também podem ocorrer, com [NERVIOSISMO] e [INSOMNIO], sendo especialmente comuns em crianças e idosos.- Genitourinarias. [RETENÇÃO URINÁRIA].- Alérgica/dermatológica. RARAMENTE [REAÇÕES DE HIPERSENSIBILIDADE], com [URTICÁRIA], [ERUPÇÕES EXANTEMÁTICAS], [HIPERHIDROSIS] E [REAÇÕES DE FOTOSENSIBILIDADE].- OFTALMOLÓGICO. [MIDRIASIS], [VISÃO TURVA], [HIPERTENSÃO OCULAR].- SANGUE. [ANEMIA], [HEMOLITICA ANEMIA], [LEUCOPENIA] COM [NEUTROPENIA] OU [GRANULOCITOPENIA], e [TROMBOCITOPENIA].- Metabólico. Raramente [HIPOGLUCEMIA].

OVERDOSE

Sintomas: Overdose por produtos de acetaminofeno é envenenamento muito grave e potencialmente fatal. Os sintomas podem não se desenvolver imediatamente, podendo até levar até três dias para aparecer. Esses sintomas incluem confusão, excitabilidade, inquietação, nervosismo e irritabilidade, tontura, náusea e vômito, perda de apetite e danos no fígado. A hepatotoxicidade geralmente se desenvolve após 48-72 horas com náuseas, vômitos, anorexia, desconforto, diaforese, icterícia, dor abdominal, diarreia e insuficiência hepática. Nas crianças também há estados de sopor e alterações no caminho da caminhada. Nos casos mais graves, o paciente pode morrer de necrose hepática ou comprometimento renal agudo. A dose tóxica mínima de acetaminofeno é de 6 g em adultos e 100 mg/kg em crianças. Doses maiores que 20-25 g de acetaminofeno são potencialmente fatais. Além dos sintomas de overdose de acetaminofeno, podem ocorrer sintomas de overdose de clorofenamina (sedação profunda, sintomas anticolinergic). A overdose de dextrometorphane geralmente não produz sintomas graves, embora o aumento da sedação seja esperado. Tratamento: Em caso de overdose, você deve ir a um centro médico imediatamente, pois o envenenamento por acetaminofeno pode ser fatal, mesmo que nenhum sintoma apareça. A identificação precoce da overdose de acetaminofeno devido à gravidade do quadro, bem como possível tratamento, é especialmente importante em crianças. De qualquer forma, o lavage gástrico e a aspiração do conteúdo estomacal serão inicialmente realizados, preferencialmente dentro de quatro horas após a ingestão. A administração do carvão ativo pode reduzir a quantidade absorvida. Há um antídoto específico em caso de envenenamento por acetaminofeno, N-acetilcisteína. Recomenda-se administrar uma dose de 300 mg/kg N-acetilcisteína, equivalente a 1,5 ml/kg de solução aquosa de 20%, com pH de 6,5, por via intravenosa, durante um período de 20 horas e 15 minutos, de acordo com o seguinte esquema:- Adultos. Uma dose de choque com 150 mg/kg (solução de 0,75 ml/kg a 20%) será inicialmente administrada por via intravenosa, por 15 minutos, diretamente ou diluído em 200 ml de 5% de dextrose. Em seguida, será estabelecida uma dose de manutenção com 50 mg/kg (solução de 0,25 ml/kg a 20%) 500 ml de 5% dextrose em infusão intravenosa lenta por 4 horas. Finalmente 100 mg/kg (solução de 0,50 ml/kg a 20%) 1000 ml de 5% de dextrose em infusão intravenosa lenta por 20 horas.- Crianças. Os mesmos valores por unidade de peso do adulto devem ser administrados, mas os volumes de dextrose devem ser ajustados com base na idade e peso da criança, a fim de evitar congestionamento vascular. A eficácia do antídoto é máxima se administrada dentro de 8 horas após a ingestão. A eficácia diminui progressivamente a partir daí e é ineficaz a partir de 15 horas. A administração de N-acetilcisteína a 20% pode ser interrompida quando os níveis de acetaminofeno sanguíneo são inferiores a 200 g/ml.Além da administração do antídoto, o tratamento sintomático deve ser instituído, mantendo o paciente sob supervisão clínica. Em caso de hepatotoxicidade, recomenda-se realizar um estudo de função hepática e repetir o estudo em intervalos de 24 horas.

apresentação
Envelopes bucodispensíveis
Drogas
Adultos
tratamento
Congestão nasal
Febre
Tosse
19 Itens
No reviews

Você também pode gostar

Os clientes que compraram este produto também compraram:

Producto añadido a la Lista de Deseos
Producto añadido a Comparar

Este website utiliza cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de utilizador. Se continuar a navegar, está a dar o seu consentimento à aceitação dos referidos cookies, e à aceitação da nossa política de cookies.